Comprar imóvel: confira nosso passo a passo prático e fácil

12 minutos para ler

O mercado imobiliário esta retomando as forças motivado por juros baixos através das novas linhas de crédito e financiamento assim como a geração de empregos e produtividade do setor da construção civil. Diante deste cenário, os brasileiros estão motivados com a possibilidade de comprar imóvel e, felizmente, realizar o sonho de adquirir a casa própria ou ainda realizar investimentos seguros.

No entanto, é preciso ter cautela nesse momento. Apesar da época favorável e vantajosa para a realização de transações imobiliárias, esse procedimento requer um maior conhecimento sobre o assunto e a observância de alguns requisitos, com o intuito de permitir que a negociação dê certo e aumentar as chances de fechar um bom negócio.

Pensando nisso, este artigo vai apresentar um panorama sobre os principais aspectos envolvendo a compra de imóveis. Assim, você vai ter condições de fechar um negócio vantajoso e favorável. Acompanhe a leitura!

Planejamento para comprar imóvel: 8 etapas importantes

O planejamento para a aquisição de bens imóveis envolve aspectos de ordem financeira e a avaliação do imóvel que será fruto da negociação. Além disso, é imprescindível reunir a documentação exigida para a compra de imóveis. Confira a seguir, as principais etapas do processo!

1. Defina as suas necessidades e interesses

Antes de começar a escolher o primeiro apartamento, ou a casa para morar, é necessário fazer uma lista contendo as características que você busca em um imóvel — vagas de garagem, metragem ideal, quantidade de quartos, portaria 24 horas, segurança, privacidade, existência de área de lazer, etc. Pense em tudo que você deseja que o imóvel tenha. Afinal, uma residência precisa atender às necessidades e preferências dos moradores.

2. Analise as suas condições financeiras

Saber o montante de dinheiro que você tem disponível é o primeiro passo para a escolha de um imóvel que caiba no seu orçamento. De nada adianta desejar uma propriedade se a sua condição financeira não permite manter esse bem. Nesse sentido, é importante verificar alguns elementos: analise a sua renda, se você vai morar sozinho ou com a família, tenha claro o valor disponível, o preço que está disposto a investir nesse imóvel, entre outros elementos.

É preciso estar atento e também planejar o pagamento dos impostos e taxas que incidem na hora da aquisição de seu imóvel.

3. Controle os gastos pessoais

É importante organizar o orçamento pessoal na hora da aquisição do seu imóvel. Pensar em todas as possibilidades de compra e tudo o que envolve esta importante aquisição. Pode ser que você tenha que abrir mão de algum gasto mais supérfluo para equilibrar suas economias, pense que todo esforço vale nesta hora. Estipule metas de valor que você consiga economizar e corte seus gastos extras para garantir seu fluxo financeiro sem gerar transtornos desnecessários.

4. Verifique a diferença de preços entre as diversas localidades

Os imóveis costumam apresentar valores diferentes conforme a localização, zoneamento e outros fatores inerentes à construção. O centro costumeiramente é mais valorizado do que os demais bairros. Portanto, verifique a região que você necessita e compare os valores. Muitas vezes um bairro que fica um pouco mais afastado do centro apresenta toda a infraestrutura necessária. Além disso, é possível encontrar imóveis mais acessíveis. Há boas ofertas em diversos bairros e isso pode enriquecer ainda mais a sua busca.

5. Analise as condições do imóvel

Conhecer a estrutura do imóvel é tão importante quanto conhecer o bairro em que ele está localizado. Portanto, veja se o imóvel atende às suas necessidades e está de acordo com o que você realmente precisa. Procure saber sobre a data da construção, busque ver de perto o acabamento, revestimento, sistema hidráulico, fiação elétrica, pisos e azulejos, fachada, iluminação, aberturas, etc..

Procure fazer uma vistoria no imóvel, e caso precise de reparos não exite em chamar um profissional da área para lhe dar assessoria nesta etapa tão importante.

6. Avalie a região

A região de localização do imóvel está intimamente ligada aos itens de prioridade que você elegeu (necessidades e interesses) e diz respeito ao que é ideal à sua realidade. Avalie bem quais são os elementos que mais influenciam nesta escolha, pois muitas vezes a região não é o fator decisório, se o bairro tiver uma boa infraestrutura que lhe dê o retorno desejado e atenda às suas necessidades.

Nesse sentido, avalie os benefícios que você tem em cada local e perceba a região como um todo. Desse modo, você tem uma noção mais exata do que vem pela frente.

7. Verifique a documentação do imóvel

A documentação do imóvel diz tudo sobre a situação imobiliária da propriedade e jurídica do vendedor e proprietário. Em regra, os documentos necessários relativos ao imóvel são os seguintes:

  • Certidão de Matrícula atualizada: emitida no Cartório de Imóveis que traz informações sobre o bem, como: alienações anteriores, tipo de construção, eventuais alterações no registro, possível averbação da construção etc;
  • Certidão de ônus reais: emitida no Cartório de Imóveis;
  • Certidão de Situação Fiscal emitida na Prefeitura. Ela garante a inexistência de dívidas do imóvel perante o município;
  • Declaração de inexistência de dívidas do condomínio.

Vale ressaltar que é indicado verificar a situação do vendedor e comprador, solicitando as negativas fiscais em seu nome, evitando com isso possíveis embargos durante a negociação. Para que você fique mais seguro poderá solicitar ao vendedor proprietário do imóvel, assim como do comprador, as seguintes negativas:

  • Certidão Negativa de Débitos da Receita Federal
  • Certidão Negativa da Secretaria da Fazenda
  • Certidão Negativa da Justiça Federal
  • Certidão Negativa do Tribunal de Justiça
  • Certidão Negativa da Justiça do Trabalho

Estas certidões lhe trazem mais segurança quanto ao negócio, uma vez que apresentam a liberação de possíveis débitos e reforçam a idoneidade das partes envolvidas.

8. Não esqueça de considerar as taxas extras

Além do valor do imóvel, o comprador também terá que desembolsar uma quantia referente a tributos imobiliários, como os custos cartorários oriundos do Tabelionato e Registro de Imóveis, impostos, como o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis). Portanto, não se esqueça de incluir esses valores no orçamento final no momento de aquisição do bem. Estes custos variam conforme o valor total do bem adquirido.

Formas de efetuar o pagamento de um imóvel

O imóvel pode ser negociado de diversas formas. Tudo vai depender das condições financeiras do futuro proprietário — disponibilidade de fazer o pagamento à vista ou necessidade de contratar um financiamento, por exemplo.

Pensando nisso, vamos apresentar, a seguir, as principais modalidades de pagamento disponíveis para a aquisição da casa própria. Confira!

Pagamento à vista

O pagamento à vista é considerado a melhor opção para efetivar a aquisição de um imóvel. Uma das grandes vantagens está no fato de quase sempre conseguir um bom desconto na hora do pagamento.

Da mesma forma, o procedimento no cartório e a entrega das chaves do imóvel costumam ser mais rápidos uma vez que, mediante o pagamento, já pode ser encaminhado a transferência do bem ao novo proprietário e este já poderá usufruir do imóvel.

A grande vantagem é já estar com o imóvel quitado em seu nome e não ter que se preocupar mais com pagamentos futuros.

Financiamento

Trata-se da modalidade mais utilizada na hora de adquirir um imóvel. Existem vários tipos de financiamentos que podem ser firmados com uma instituição financeira ou bancária. Do mesmo modo, o enquadramento do cliente é importante para determinar qual será o tipo de financiamento específico para ele, levando em consideração a sua condição.

Confira os fatores que acabam por influenciar no valor que será financiado: renda (individual e/ou familiar), capacidade financeira, score (cadastro positivo), tipo de imóvel, data de nascimento, entre outros elementos.

Além disso, a possibilidade de realizar parcelamento diretamente com a construtora (geralmente para os casos de lançamentos de imóveis na planta). Nessas situações, a forma de pagamento e análise é feita diretamente entre o corretor, cliente e construtora.

Desse modo, é importante avaliar as condições do comprador e verificar qual alternativa é a mais vantajosa para ele. Conheça melhor algumas opções disponíveis!

Minha Casa Minha Vida

O “Minha Casa Minha Vida” é o programa de financiamento habitacional, ministrado pelo Governo Federal, e que incentiva o acesso à aquisição da primeira casa própria para a população que apresenta uma renda específica. Dentro desta modalidade existem variação nos valores conforme as faixas de renda e com isso, diferentes formas de pagamento, conforme cada caso. É indicado para quem vai adquirir seu primeiro imóvel e para quem ainda não realizou nenhum financiamento em seu nome.

Financiamento da Caixa

A Caixa Econômica Federal também apresenta boas oportunidades de financiamento para a aquisição de imóveis novos ou usados. A grande vantagem dessa negociação são os baixos juros disponibilizados pela Caixa, que acabam atraindo muitos interessados na compra. Vale lembrar que, também nessa modalidade, a renda sempre será um dos fatores que mais implica na liberação do financiamento.

Financiamento de bancos

Existem diversos bancos que também oportunizam o financiamento de imóveis e oferecem boas condições para os clientes que já são correntistas e mantém relacionamento bancário, uma vez que apresentam algumas vantagens para esses consumidores.

As principais entidades nesse sentido são o Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander além da Caixa Federal. Portanto, o ideal é pesquisar as melhores ofertas e realizar simulações para chegar ao melhor valor e obter as menores taxas do mercado.

Financiamento direto com a construtora

As construtoras possibilitam o financiamento de imóveis para seus clientes. Esse tipo de negócio costuma ser mais flexível e aberto à negociação entre as partes.

Além disso, é possível utilizar o FGTS como parte do pagamento em quase todas as modalidades.

Dicas para a mudança para o imóvel

A mudança de imóvel envolve algumas fases. Veja as principais medidas que você deve adotar para tornar esse momento mais organizado, ágil e evitar perda de tempo:

  • verifique se terá que agendar o horário da mudança (em alguns condomínio somente com hora marcada);
  • defina datas específicas e prazos para efetuar a mudança;
  • combine o planejamento com o porteiro, amigos, família e os profissionais que vão auxiliá-lo nesse momento;
  • opte por desmontar os móveis e colocar os objetos de um cômodo por vez. Assim, o processo de mudança e organização dos itens fica mais eficiente e você não corre o risco de ficar ainda mais enrolado;
  • compre caixas grandes e coloque todos os itens dentro dessas embalagens, use etiquetas e identifique as caixas para facilitar na hora de guardá-los;
  • contrate uma transportadora e oriente o responsável pela mudança para tomar cuidado com itens frágeis, por exemplo;
  • limpe o apartamento, ou a casa nova antes de levar os objetos para dentro dela;
  • ligue para as operadoras de serviços e faça a transferência para o endereço, como empresa de TV por assinatura, telefonia, internet, banco, faculdade, escola etc.

Escolha de uma boa imobiliária para comprar imóvel

A imobiliária é uma empresa formanda por uma equipe de corretores especializados no mercado de imóveis. Esses profissionais costumam ter experiência no assunto e reúnem o conhecimento necessário sobre determinados assuntos, como as características de cada região e os melhores bairros. Assim eles podem ajudar você na tarefa de escolher o imóvel ideal, levando em consideração as suas necessidades e gosto pessoal.

Portanto, você deve deixar bem claro quais são os seus objetivos, preferências e o que deseja da estrutura do imóvel. A partir daí, os corretores vão atrás das melhores opções para o seu perfil e o seu bolso. Por isso, é importante prezar por manter um diálogo aberto e um vínculo mais próximo com o profissional encarregado de atendê-lo. Esse cuidado facilita a compreensão do corretor para fazer a busca do imóvel certo.

Como você pôde perceber, comprar imóvel não é uma tarefa muito simples. Trata-se de um procedimento mais complexo e que exige atenção tanto do comprador quanto do vendedor. Antes de tudo, é importante avaliar as suas necessidades, expectativas e preferências com relação ao imóvel. Desse modo, as chances de o cliente sair satisfeito com a aquisição são ainda mais altas.

Quer um auxílio para escolher o imóvel ideal para o seu perfil? Nada melhor do que contar com o apoio de uma imobiliária experiente no ramo. Quer saber mais detalhes? Entre em contato com a Arnel Imóveis e solicite um atendimento!

Posts relacionados

Deixe um comentário